Portal Espirita
 
   Portal Espirita L.E.M.A.
    Legião Espiritual e Material de Ajuda
    Desde Janeiro de 2000

 


Membros
      Mapa   Mapa
 


CelestialMirror
Meus amados, boa noite.
Sou Sananda.
Minhas benos e graas para todos vocs.

Esta noite quero passar um tempo com minha familia e falar um pouco da minha vida, ressaltando que, na verdade, ela tambm a vida de vocs.


Como vocs, meus queridos, eu tambm fui uma criana que tinha uma espcie de vu. Mas era uma criana diferente. Como muitos de vocs, sementes de estrelas, eu tinha pensamentos e sentimentos que nem podiam ser levados em considerao naquela cidadezinha, onde a maioria das pessoas se preocupavam apenas com coisas menores. Para falar a verdade, no ramos muito populares naquela pequena cidade.

A medida que eu crescia e meus dons comeavam a se expressar, muitas pessoas daquela cidade procuravam minha familia e diziam: No sabemos o que fazer com esse seu filho, Yeshua. Talvez vocs devessem encurtar as rdeas dele. Ele fala de coisas que nossos filhos nunca ouviram falar. E d um mau exemplo.. Mesmo assim, eu no conseguia refrear o poder do amor dentro de mim, a capacidade de ver alm do vu e dentro dos coraes da espcie humana, que eu parecia ter desde a mais tenra idade.

Quando fui ao templo para pedir conselhos aos ancios, eles tambm no conseguiram compreender o meu corao. Comecei a sentir, como vocs as vezes sentem, que eu no fazia parte daquilo e que havia algo errado comigo.

A Jornada

Certo dia, uma caravana estava passando por nossa vila. Eu gostava de ficar olhando as caravanas, talvez essa fosse a nica emoo numa vida muito comum e montona. Implorei ao condutor da caravana que me levasse com ele para as terras do leste, pois meu esprito me mandava buscar outras pessoas que tivessem um jeito parecido com o meu. Peguei uma carona, por assim dizer, na caravana e, com as benos de meus pais, parti numa longa jornada de muitos meses, embora fosse um jovem com menos de quinze anos naquela poca.

Acabei chegando a terra de Arya Vata, que voces chamam de India. Reparei que havia muitos individuos cobertos de andrajos andando por l, mas em seus olhos ardia o fogo do propsito, queimava o fogo da viso e da santidade. Fiquei com eles, sendo tambm tomado por um mendigo, um vagabundo, um andarilho sem vintm. Fui a muitas e muitas daquelas moradias, cavernas, ashrams (local de retiro, na India). Sentava-me e escutava. Ouvi inmeros ensinamentos que, a meu ver, no pareciam verdadeiros. Eu os questionava e creio que no era muito tempo, no fui bem-vindo, pois fazia as perguntas erradas. Eu perguntava: Que ensinamento esse que diz que se deve reencarnar sem parar? E se algum errar o caminho, possivel nascer como um verme ou um inseto ou um animal? Esses no pareciam ser os ensinamentos do Pai. Procurei outras pessoas e fazia perguntas em qualquer lugar que eu fosse. Ningum sabia as respostas; pareciam ter esquecido. Mas, de alguma maneira, os ensinamentos da Luz estavam gravados em minha alma.

Retirei-me para as imensas florestas e orei com todo o corao, pedindo orientao. Senti um redemoinho dentro de mim. No conseguia explicar a paixo que as vezes tomava conta de mim, e eu estremecia de fervor por compartilhar o amor do Pai.

Tive vrias experincias maravilhosas. Um dia, eu estava sentado numa rea sagrada do Himalaia, sempre frequentada pelos iluminados. Sentado na caverna, tive uma viso fortssima e uma grande Luz apareceu para mim. Como muitos, passei a duvidar do que vira e comecei a me perguntar se no seria produto de minha mente ou alguma fantasia. Porm, o sentimento que eu havia experienciado no me abandonava. Ele me mandava prosseguir e compartilhar algumas das introvises que eu tivera.

Como costuma acontecer, um grande ser apareceu para mim e disse: Meu filho, voce est no caminho certo. Confie em voce. Deus o escolheu para uma grande misso. Agora v, e sorva profundamente do esprito. Nutra-se, pois logo chegar o momento em que voce dever voltar para sua terra natal.. E, nesse momento, muita dor estar a sua espera. Mas em meio a essa dor, voce ser uma fonte de salvao para toda humanidade.

Em minha mente, pensei: Como isso possivel? Sou uma pessoa simples. Sou estrangeiro nesta terra. Estes seres parecem to mais sbios do que eu. E Mesmo assim, algo tocou numa corda do saber dentro de mim.

Fiz como o sbio sugeria: meditei, orei e jejuei. Conversei com os animais, com os pssaros e com as rvores. Comecei a sentir a presena de Deus. Por isso, quando eu caminhava pela Terra, mal ousava pis-la com muito vigor, com medo de que pudesse ferir o rosto do amado senhor. Com o tempo, conforme fui amadurecendo em minha compreenso e aprofundando minha busca espiritual, tive a sensao de que, na verdade, havia sido chamado para uma grande misso. Comeou a se erguer o vu que todos possuimos, quando chegamos aqui. Senti, em minha alma, que era meu destino ir para minha terra natal e, de algum modo, levar a Luz, pois as pessoas realmente haviam perdido a centelha da alegria, da reverncia, do perdo e da benevolncia. Tive uma experincia na qual me senti como a alma de tudo que estava vivo. Senti como se a Luz de meu corao emitisse raios que conferiam Luz a tudo que existia. As vezes, eu ficava vagando naquele estado como um louco.

Por fim, retornei a minha terra natal e, l, eu de fato era um desajustado. Mas, agora, isso no parecia ter muita importancia, pois a chama do propsito ardia em meu peito. A misso, que eu sabia ser minha, j me tocara. De inicio, falei com algumas pessoas simples. Muitas vezes riam e retiravam-se abruptamente no meio de meus discursos. Do mesmo jeito que vocs devem se sentir de vez em quando, eu me sentia tentado a voltar para a terra de Arya Vata em meio aos santos, aos poucos iluminados que na verdade encontrei. Contudo, eu sabia que minha tarefa era levar a Luz para a terra em que eu nascera.

Aos poucos, comecei a encontrar uma ou duas pessoas que no me consideravam louco.

Passava algum tempo com elas, falando sobre muitas coisas, abrindo meu corao, esperando que elas passassem a sentir o fervor do amor que eu viera partilhar. Paulatinamente, vieram outras pessoas e trouxeram amigos. Depois de algum tempo, alguns realmente seguiam comigo. Unimos-nos como irmos e irms para um nico propsito: levar a mensagem do amor e da graa de Deus. Novamente, o nmero dos que vinham para escarnecer e zombar era bem maior do que o nmero dos que vinham para escutar. Como vocs, as vezes sentia-me cansado. Perguntava-me se, de algum modo, havia entendido mal aquele chamado para uma misso.

Decodificando A Misso

Inmeras vezes eu parava e dizia a mim mesmo: No posso deixar de falar o que est em meu corao. Por isso, eu falava. E creio que isso causou muitos problemas a vrias pessoas, pois o que eu falava no tinha nada a ver com os ensinamentos que elas estavam acostumadas a ouvir. Essas pessoas questionavam e duvidavam de minha autenticidade e me repreendiam. Muitas vezes fui preso pelas autoridades por causa de algum propsito maquinado, s para me segurarem e para que eu ficasse calado por um ou dois dias. Mas como no encontravam nenhum motivo para me deter, eu acabava libertado e partilhava de novo a minha mensagem. Comecei a ter recordaes, creio que as posso chamar assim, de ter sado de outro lugar para vir a este mundo. Comecei a me lembrar de que tinha estado aqui como um espirito voluntrio, acho que seria assim que voces diriam atualmente. E comecei a decodificar minha misso. Com a decodificao, veio uma capacitao que eu jamais conhecera antes.

As vezes eu permanecia no deserto e observava o cu e as estrelas, sentindo como se tudo aquilo que existia tivesse explodindo do meu corao em xtase e amor. Parecia um louco, apaixonado pelo propsito, com um entusiasmo impetuoso. O entusiasmo era to contagiante que passou a ligar-me a algumas pessoas que comearam a enxergar a viso e tambm a decodificar a misso. Juntos, encontramos e fundamos um bando de renegados, creio eu.

Muitas vezes precisvamos nos esconder nas cavernas, nas montanhas e na vastido do deserto para escapar as pedras que os outros costumavam atirar em ns. De vez em quando era difcil conseguir alimentos, pois no ramos bem-vindos na maioria dos lugares. Tornamo-nos conhecidos como desordeiros e agitadores e como uma ameaa aos ensinamentos e comandos consagrados. Sentia-me como vocs devem se sentir as vezes- desencorajado.

Devo confessar que no foram poucas as vezes em que chorei.

Perguntei ao Pai: Por que eu? Por que eu? No tenho a fora. No tenho a sabedoria. No tenho o poder suficiente para enfrentar a ignorncia desenfreada destes tempos. Creio que as pessoas mais atraidas por mim tambm eram parias, renegadas, aquelas que no possuiam boa reputao. Eu tambm adquiri uma pssima reputao, pois gastava meu tempo com essas pessoas. Descobri que , apesar de seu comportamento exterior, elas possuiam coraes generosos e abertos a mensagem de Deus e ao amor Dele.

Comecei a decodificar mais a fundo, e ao fazer isso, todo o vestgio de dvida comeou a desaparecer. Passei a ter o conhecimento, vindo de uma profundeza que eu no conseguia explicar, de que aquilo que eu fazia e ensinava era a verdade. A medida que esse conhecimento comeou a verter por cada poro de meu ser, passou a chegar cada vez mais gente para me escutar. Em determinado momento, tinha tantos seguidores que era realmente uma ameaa aos poderosos daquela poca. Tornei-me consciente, pois minhas habilidades de telepatia, assim como meus outros dons, comearam a aumentar. Descobri que algumas pessoas pareciam se curar na minha presena. as vezes, eu era chamado as pressas para colocar minhas mos sobre certos indivduos. Vrias coisas maravilhosas aconteceram pelo poder do Pai dentro de mim. Muitas vezes eu dizia a essas pessoas: Por favor, no comentem nada a esse respeito. Apenas voltem para casa e desfrutem de sua boa sade. Mas, obviamente, como tpico das pessoas, elas comentavam. Os rumores, o escndalo e os mexericos cresceram a tal ponto que desejei, com todo o corao, fugir para as montanhas e esquecer tudo aquilo.

Inmeras vezes eu parei e disse a mim mesmo que realmente possuia uma mensagem que precisava ser divulgada. Lembrei de minhas experincias com os sbios no Himalaia. Comecei a ter vises ( voces poderiam cham-las de precognies ). Previ que eu seria severamente perseguido e que sofreria um destino que j se repetira centenas, talvez milhares de vezes naquela poca, e que iria acontecer a mim tambm: a crucificao. Eu sentia medo, como vocs sentiriam. Perguntei-me se a minha mensagem era to importante a ponto de eu dar minha vida por ela. Orei, chorei e pedi orientao.

A orientao era sempre a mesma: Voc veio para se desencumbir de uma grande lio que ser escrita em eras que ainda esto por vir. Sua vida simples e todas as coisas que voc est partilhando agora sero como uma Luz para toda a espcie humana.

Tive uma srie de experincias naquele momento, quando estava descansando e imaginava ou sentia presenas recobertas por mantos ao redor do meu leito. Com frequncia, as vises se desvaneciam rapidamente quando eu despertava , e no conseguia ret-las por completo em minha mente. Mas comecei a sentir como se o Pai houvesse enviado acompanhantes para caminhar comigo. Eu tambm tinha vises estranhas, nas quais parecia estar l fora, entre as estrelas. No conseguia explicar isso. Sentia como se estivesse navegando na imensido do cu. Cada vez que eu tinha essas experincias, sentia-me mais encorajado e seguro quanto ao meu chamado.

Quando, finalmente, tive uma precognio e vi que muito em breve eu seria mesmo levado, ergueu-se dentro de mim um espirito de coragem, de fora, de pacincia, que s consigo imaginar como uma ddiva do Pai. Quando vocs passam por momentos de grande coao, de grande tragdia, no notam tambm que um esprito igualmente grandioso se eleva dentro de vocs? Comigo tambm foi assim. Embora eu soubesse que essas pessoas que estavam contra mim no poderiam ser dissuadidas, no importando o que eu dissesse ou fizesse, tambm sabia que devia concordar. Eu at sabia que alguns de meus seguidores no me seriam fiis, se dispersariam e logo esqueceriam o que eu lhes havia ensinado. Vi tambm, em seus futuros, vidas que seriam gastas em sangue derramado na terra. Era como se os vus se tivessem erguido e eu visse o futuro nitidamente. Eu no queria v-lo. Desejava com toda minha alma que fosse possvel mudar o curso do futuro.

Eu Era Verdadeiramente A Luz

Talvez fosse minha imaginao febril. as vezes, eu no me sentia bem. Sofria de indisposio no estmago e no trato intestinal. Ocasionalmente, isso era acompanhado de febre,. Eu pensava: Talvez seja meu crebro febril que cria estes pensamentos. Mas o amor em meu corao e o sentimento de proximidade a Deus, o Pai, era tudo que eu possuia como ponto de referncia mais forte.

Quando fui detido e encarcerado, voltei a pensar com cuidado. Como um moribundo, em certo sentido, minha vida inteira passou diante de minha mente. Mas junto com isso vieram, de novo, as vises daqueles que pareciam vir a mim durante a noite e, novamente, as vises de minha estada nas estrelas. Convenci-me de que eu era daquelas estrelas, de que eu possuia um mundo, muito distante, do qual eu viera para esta Terra. Essa viso comeou a tomar conta de mim com fervor e , assim, comecei a perceber que no importava o que eles fizessem ao meu corpo, eu no era aquele corpo. Eu era verdadeiramente a Luz que eu tinha visto fluindo da minha essncia para todas as coisas.

Depois, fui levado a julgamento e, mais uma vez, aquele poderoso esprito ergueu-se dentro de mim. S que desta vez ele era to inexorvel, to ardente, to apaixonado pelo propsito, que no importava o que me dissessem, era como se v atravs do celofane. Conseguia ver claramente e distinguir seus coraes. E o que me encorajou muito foi que tambm consegui ver o futuro deles, ver o momento em que esses coraes finalmente se abriam e se libertavam do cativeiro da negatividade.

E assim, mantive-me firme, pode-se dizer, em meditao e orao, fortificando meu esprito, pois sabia que meu tempo na Terra estava chegando ao fim. Percebi, de fato, que iriam me crucificar da maneira mais cruel que pudessem, pois eu dissera vrias coisas enquanto estivera em estado de xtase divino, o esprito fala atravs da pessoa, no se pode refrear os lbios.

Tudo Parecia Um Sonho

Finalmente, como vocs tem conhecimento em suas histrias, fui de fato levado e posto na cruz. A coisa boa que tenho a lhes dizer a seguinte: quando aquele dia fatal chegou, eu havia me colocado num tal ponto de conscincia, que para mim tudo parecia ser um sonho. Vi as multides a meu redor. Ouvi o choro de meus companheiros e daqueles com os quais crescera e que havia amado. Vi a confuso e o medo em meus seguidores. Fiz tudo o que pude naqueles ltimos momentos para elevar minha energia o mais alto possvel para perto de Deus.

Quando me pregaram na cruz, ouvi, como num sonho, o eco das marteladas e nada senti. No experienciei a mnima dor. Era como se eu estivesse fora de meu do meu corpo e observasse aquele corpo pregado l, com os cravos enterrados em seus tornozelos e pulsos. No conseguia me relacionar com ele como se aquele corpo fosse o meu. Parecia uma caricatura minha. Quando levantaram a cruz e a fixaram no pedestal, novamente eu parecia estar acima daquele corpo, sangrando e abatido, sem sentir nenhuma dor. Estava num estado de tamanha lucidez que conseguia ver claramente aquilo que o Pai me enviara para fazer. Eu sabia, embora as vezes fosse tentado a entrar numa conscincia inferior e a julgar aquilo que acontecia ao meu redor, pois as pessoas me pareciam to ilgicas, to cruis, to ignorantes. Mas toda vez que sentia isso era arrastado para mais perto do meu corpo. Percebi que se permanecesse naquele estado de conscincia, logo voltaria para aquele corpo e estaria experienciando a dor. Ento, com muita concentrao, mantive meus pranas, meus sopros vitais , na poro mais elevada de minha conscincia.

Vivi A Minha Viso

Aquele momento parecia se situar fora do tempo. No experienciei uma passagem de tempo. Por fim, senti um espasmo abrupto em minha forma fisica. E dentro de meu corpo sutil, como se eu houvesse estado num balo amarrado a ele e alguem soltado a corda, de repente me senti muito livre e percebi que o corpo morrera. De certo modo, senti-me aliviado, como vocs estariam, pois sabia que no estava mais preso aquela forma, e estava realmente livre. Fiquei observando quando o corpo foi baixado da cruz e veio alguem, que eu amava muitssimo e que voces conhecem como Jos de Arimatia, junto com minha amada me e outros, e levaram embora meu corpo, chorando. Senti-me muito pesaroso com a tristeza deles. Queria dizer a eles: No chorem por mim..Estou vivo. Estou bem. No chorem. Fiz aquilo que fui chamado para fazer. Eu vivi a minha viso. O que mais se poderia pedir de mim??

Fiquei olhando eles levarem o corpo e o colocarem na tumba, rolando uma grande pedra para fechar a entrada. Muitos profetas haviam falado de algum que viria e romperia os grilhes da morte. Realmente, jamais pensei que fosse eu. Preciso lhes dizer a verdade. Nunca me ocorreu que os antigos profetas estivessem falando de minha vida. Quem sou eu? Um simples rapaz judeu. Nada tenho de especial....uma viso....um sonho....algumas experincias do Pai. Mas percebi que estava rodeado por aqueles mesmos seres maravilhosos que haviam me visitado a noite, s que desta vez estavam me chamando por outro nome. Estavam dizendo que eu precisava me desencumbir de mais uma tarefa. Fiquei imaginando de que modo faria isso. E eles disseram: No tenha medo, estamos com voc. Estaremos com voc e o ajudaremos nessa grande incumbncia. que voc....voc foi escolhido para representar este grande mistrio do futuro que est por vir.

Fui instrudo e ajudado por esses grandes irmos a entrar em meu corpo, e foi como entrar em algo muito frio e pegajoso, algo muito instvel e ferido. Instruiram-me detalhadamente sobre como gerar o fogo sagrado da transfigurao e da ressurreio. Em minha mente, uma lembrana distante voltou e, de repente, eu me lembrei de vidas passadas nas quais eu estivera numa grande escola de iniciao. Eu estivera num grande edificio que voces conhecem hoje como a Pir?mide de Giz. Naquela poca, eu tambm estivera numa tumba semelhante. Como iniciado, eu conseguira realizar a viagem da alma a partir de minha forma inerte at me sentar nos Conselhos de Melchizedek, na Estrela Solar Srius. Aquele pensamento comeou a tomar conta de minha mente e, a medida que realizava a decodificao de maneira mais completa. Me lembrei de como fazer isso.

Quando fui colocado de volta no corpo, meu esprito brilhou com propsito, com empenho apaixonado. Respirei, como eles haviam me instrudo, concentrei-me em meus sopros vitais e fiz a poderosa essncia de vida percorrer aquela forma. A forma comeou a ter espasmos e a tremer. Comeou a exalar um estranho odor que encheu a tumba. Experienciei uma chama ardendo por todo o meu ser e continuei meditando e respirando e difundindo, dispondo-me a voltar vida.

Eu Sou A Vida Eterna

Bem, alguns de voces tem uma noo geral do que aconteceu. Queria lhes contar minha experincia. Quando fiz aquilo, subitamente o corpo, por si mesmo, comeou a se elevar da tumba. Tive uma experincia dupla, a de estar fora do corpo, olhando para o que acontecia, e a de estar dentro do corpo, simplesmente queimando com energia e Luz e poder. Descobrindo-me de certa forma espantado, de repente o corpo caiu na laje fria sobre a qual eu tinha sido colocado e a Fraternidade materializou-se na tumba comigo e disse: No tenha medo. Voc pode fazer isso. Ns o ajudaremos. Uma vez mais, concentre-se em sua respirao. Respire. E seja a Vida Eterna.

E eu repetia para mim mesmo: Eu sou a Vida Eterna.
Quando respirei desta vez, meu corpo se metamorfoseou em Luz radiante de um modo pleno, total e completo. A prxima coisa de que me lembro que fui de repente elevado pelos ares. Eu estava flutuando. Estava dentro de uma Luz selada. Depois, estava em p num aposento circular com esses mesmos irmos.

Disseram-me que minha viso estava quase completada. Eu fizera algo maravilhoso. medida que falavam, minhas recordaes foram voltando cada vez mais. Eu me lembrei deles, e me lembrei de que eles me haviam trazido e me colocado dentro do meu corpo quando eu era criancinha. Reconheci meu pai- ele fora um desses Grandes Ancies- e minha me. E de repente senti-me como o ator de uma pea, que fica to mergulhado na representao correta de seu papel que se esquece e perde de vista o fato de que, na verdade, tudo aquilo era um teatro. Fui elogiado e cumprimentado. Meu corpo foi regenerado e restaurado na companhia de meus Irmos. Vi e entendi por que eu tivera aquelas vises de navegar pelas estrelas pois, de novo, estava navegando por entre as estrelas numa nave de Luz maravilhosa.

Disseram-me para voltar a Terra, a fim de testemunhar e testificar a imortalidade de toda a humanidade. Eu estava estabelecendo um prottipo que seria consumado dali a milhares de anos. Aparentemente ca numa espcie de sono e, quando acordei, estava na Terra, sob uma grande tamargueira. Levantei-me e me perguntei se sonhara tudo aquilo. Meu corpo parecia bem, mas tinha algumas marcas. Quando observei as marcas, percebi que, de alguma maneira, fisicamente, eu de fato tivera aquela experincia.

Levantei-me e olhei ao redor. Vi que estava na rea onde estavam vivendo muitos dos que haviam me seguido, mas eu era como um fantasma. Ningum parecia ver-me. Eu estava em outra dimenso. Falava em voz alta, mas ningum me dava ouvidos.

Os Irmos falavam dentro de minha mente, telepaticamente, e sugeriram novamente aquele mesmo respirar e a concentrao de minha energia, dizendo que eu a levasse para as pernas e para os ps. Meu corpo estava um pouco dormente e eu continuava com a sensao de uma existncia irreal. Dentro de alguns dias estabilizei-me e fui me encontrar com vrios dos que haviam me seguido.

Eles mal conseguiam acreditar que eu era aquele que fora crucificado. Duvidaram de mim. Entrei, ceiamos e bebemos suco de uvas. Comi carne de peixe. Permiti que eles tocassem meu corpo e vissem as chagas nos meus ps, no lado, nas mos. Ainda havia cicatrizes e marcas em minha testa, deixadas pela coroa de espinhos. Chegou o amado Jos de Arimatia, que era como um pai. Vocs sabem que meu prprio pai retornara Fraternidade antes que eu atingisse a maioridade. Ento, Jos disse: Venha, meu filho. tempo de voc retornar a Fraternidade de Luz, pois tem muito trabalho a fazer.

Em seguida fomos para uma imensa floresta e l nos sentamos em meditao, e comunhei novamente com o Pai. Disseram-me que eu devia ir de novo para as montanhas do Himalaia; l a Fraternidade esperaria por mim. Eu tinha muito a fazer em muitos territrios estrangeiros. Vejam, minha mente estava de tal maneira que, novamente, como muitos de vocs, as dvidas continuavam a surgir. Percebi que por isso que a humanidade tem tantos problemas. A mente de tal maneira que sempre duvida do miraculoso. Mas ao sentar-me com aquele ser bondoso e querido, que eu amava com toda a alma, comecei a me concentrar uma vez mais em meu propsito. De novo comecei a integrar as energias que inundavam meu ser.
Apareci para muitas pessoas naqueles tempos e algumas conseguiam me ver por causa de sua clarividncia, algumas conseguiam me sentir, algumas no me viam de jeito nenhum. Subi uma colina e dois dos Irmos vieram e cada um deles ficou de um lado. Aquela altura havia um pequeno ajuntamento, outra vez, daqueles que realmente sentiam minha energia e de fato experienciavam a maravilha que recaira sobre mim. Tive novamente uma sensao de elevao, uma sensao de que a Luz me engolfava. Senti como se cada poro de meu ser estivesse inundado de Luz. Fiquei um pouco zonzo e desorientado e percebi uma voz muito profunda dentro de mim falar: Eu Sou A Ressurreio. Eu Sou O Caminho. Eu Sou A Vida Eterna. E Embora O Homem Morra ou Parea Morrer, Ainda Assim Ele Vive Em Mim.

Perguntei-me de onde vinha aquela voz e sabia que era do Senhor Deus dentro de mim.

Outra vez, senti que eu subia, subia, subia, junto com os meus amados Irmos e companheiros. E olhei para o alto e vi uma nuvem maravilhosa que novamente recebia a minha essncia. Assim que parei naquela nuvem maravilhosa, achei-me de novo no aposento circular com meus Irmos. Mais rpido do que pensamos, voamos para dentro da Fraternidade dos Mestres, para o que vocs o chamam de Shambhala.

L, uma vez mais, dentro da secreta imensido de seus rostos mais sagrados, encontrei um lar e um povo.
Vivia entre os imortais, descobrindo que eu tambm era imortal. E o sono de eras, os ltimos vestgios dos vus necessrios foram erguidos de meus olhos e conheci a mim mesmo, como eu sempre fora conhecido. Na companhia de meus Irmos, de meus companheiros, aprendi a enviar meu esprito pelo mundo. Materializando-se em forma e vontade. Aprendi ( para ser mais exato, talvez devesse dizer, reativei) minhas capacidades de transcender o tempo, o espao, a matria, a dimenso. E atingi a plena conscincia, o pleno conhecimento e a plena recordao.

Sa de l e apareci a todos os remanescentes das Doze Tribos de Israel que, aquela altura, tinham se espalhado por todos os continentes e haviam se corporificado em diversas raas e diversos povos. Cheguei-me a eles e com eles vivi. Passei-lhes os ensinamentos do reino onde eu viera. Aps haver partilhado minha essncia durante muitos , muitos anos, finalmente percebi que era hora de me desfazer da vestimenta que eu usara sobre a Terra. Ento eu a tirei e a deixei, pois ela havia cumprido o seu propsito. Quando dei partida ao veculo, eu estava a beira de um lago encantador. Acredito que, hoje, vocs chamam aquela terra de Kashmir.

Uma vez mais, senti a presena dos Irmos ao meu redor, uma vez mais fui erguido em Luz para uma espaonave maravilhosa. Soube, ento, quando completei a misso daquela vida, que eu era comandante estelar daquela nave e que eu havia, pela fora divina, conseguido a plena retirada do vu para encenar, como o ator de uma pea, o triunfo sobre a iluso. Eu tinha de fazer isso a partir de dentro da iluso, exatamente como vocs. Aquele estranho nome pelo qual me chamavam, que me soava to estranhamente familiar, Sananda, o nome pelo qual sou conhecido, e descobri que eu era filho de um grande Rei e de uma grande Rainha, e que eu viera de uma poderosa linhagem de Kumaras. De fato, eu era Sananda Kumara. E mais, eu era uma multiplicidade de seres, um dos quais era chamado de Sanat Kumara, Snaka Kumara e Sananda Kumara.

E assim, descobri dentro de mim que eu era mais do que jamais sonhara. Veio a mim, outra vez com grande assombro, o redescobrimento, a lembrana e o reinado de meu pleno conhecimento e de minha plena qualidade de ser.

Compromisso Com A Liberta??o De Todas As Almas

Olhei para trs, na direo da Terra, e soube com toda minha alma que estava comprometido com a Ascenso e Liberdade de todas as almas daquele planeta. Fiz o firme Voto de que voltaria sempre, na verdade eu nunca iria embora, pois parte de minha essncia permanecia em Shambhala, mesmo que eu vivesse nas espaonaves. Com minha viso clarividente, previ a poca em que todo um povo se elevaria em vida Eterna e na Luz mais gloriosa que vocs consigam imaginar, exatamente como eu me elevei, e proclamei a Glria de Deus e da Vida Eterna.

Contei-lhes esta histria porque queria chamar ateno para o fato de que, exatamente como vocs, eu estava toldado por vus, tinha uma vaga lembrana das minhas saidas do corpo. Eu decodifiquei. Despertei e escolhi cada passo do caminho.
Escolhi a graa, a confiana e o perdo, a gratido e a exaltao de Deus Todo-Poderoso; e , alm disso, escolhi o Amor.
Aquilo que eu fiz, continuamos a fazer agora, nesta era. Isto maior do que o que eu fiz, porque vocs o esto fazendo em grupo. Vocs o esto fazendo por intermdio da Cooperao, numa camaradagem que eu no conheci na minha poca. Por isso, Eu os Sado e os Aplaudo e os Amo com toda a minha Alma.

Sananda.


Copyright da imagem: Gilbert Williams


 Comentários antigos (Total: 15 )

Por que voltamos a este mundo?
Para aprender com ele, o caminho de volta ao Pai deve ser construdo com o amor.disciplina e sabedoria


bom dia, caros amigos, ou futuros amigos, eunão sou esprita eu acho, sou catlico n ão praticante j tem uns quinze anos, entro em qualquer igreja seja qual for, pq todas são casa de Deus, enfim, estou totalmente alienado em relação a minha paz esprita, bem, estava eu vendo tv quando um programa me chamou a atenção, o programa comando na madrugada na tv band, e estavam falando sobre esperiencias espritas, e a pessoa falou pra quem j teve esperiências, desse tipo que entrasse em contato com ele, pois não foi que esquec o site do rapaz, não sei se vai ser aqui que vou conseguir, quem é, ou quem ser, mas se alguém me puder me ajudar, de alguma forma desde de j eu agradeço, tenho uma pessoa que faz parte  do espritismo, mas j não consigo manter contato com ela, ela é do gfa de braslia, Grupo Francisco de Assis, infelizmente não mantenho mas contato, mas se alguém me puder ajudar j sabem meu e-mail, um abraço.

Olha amigo,
eu tenho paz espiritual; sou praticante do ensinamento gnstico e é para qualquer religião, ou sem religião. Se quiser, posso ajud-lo da mesma forma que um dia fui ajudada, gratuitamente.

abraços


Bom dia...

Em resposta ao visitante "7  2006 09:40", sou do GFA.. .se puder ajudar em algo, é s falar...


Interesante o relato mas,i a tese de kardec?


Busco ajuda espiritual,sou umapessoa muita invejada, quando tudo na minha vida se caminha para o bem, sempre tem algo a me pertubar, ajudo muito meus familiares, principalmente meus pais, me preocupo com a situação dos meus familiares, sempre queo ajudar a todos financeiramente, trbalho na area de vendas, as vezes consigo bons negcios, mas ultimamente nada tem dado certo, somente estou vivendo de promessas, que nunca se cumpram, sinto me angustiada, tenho uma irmã que est com cancer e preciso de minha ajuda, tenho feito o possivel por ela, as vezes sinto sem força para continuar, alguém pode me ajudar .....  Gostaria de ir a algum lugar buscar ajuda espiritual resido em SP na zona leste,  alguma lugar aqui nas minhas imediações?


pedidos de vibrações preces e cirurgia espiritual deverão serem postados em: www.lema.not.br


 Preciso lhes contar minha histria, pois preciso de muitas vibrações positivas!No inicio do mes de março 2008, conheci um distinto senhor gerente de uma
agencia de viagem.
Com os contatos e acertos de pagamento, percebi que ele estava me
cortejando discretamente. Faço aulas de teclado, sou viuva e combinei
com minha professora de viajar juntas para espairecer. Com o andamento
dos acertos levei-a até a agencia para fazer o acerto da passagem dela.
Quando chegamos na agencia ela de pronto percebeu o interesse dele e
comentou comigo que ela j estava vendo tudo: que ia ficar sobrando na
viagem, contestei disse que não era bem assim.
Mas voltamos de viagem namorando!
Na viagem que foi pra peruibe, uma das noites ele me convidou para ir com ele
para Itanhaém com uma parte do pessoal. La chegando foi nos reservado um
quarto para ns. Tomamos benho e começou rolar o clima, S que entre  os
beijos e a massagem que ele me fazia foi dizendo que não eramos obrigados a fazer nada naquela noite, pois ele não costumava fazer  sexo logo na primeira noite juntos. Concordei achei muito bacana o comportamento dele, apesar de não sermos mais crianças(eu 56 ele 52) sou morena de corpo bem feito apesar dos cinco filhos
tenho o corpo com tudo no lugar. (peso 52,700) enfim achei super legal. T... s que voltando para Bauru, a gente começou o namoro firme ele começou ir na minha casa
mas tinha um comportamento super estranho. Não rolou mais nada, apesar do meu esforço e cobrança depois de um certo tempo de paciência.Pois nunca tinha lidado com tal situação. Sou acostumada com homens desejosos! Mas achei uma esperiëncia nova, sei l, talvez ele precisasse de ajuda, me disse uma vez que era para eu ter paciencia com ele, pois ele estava tentando resgatar a intimidade...assim mesmo a frase dele ficou na reticência. E eu fui tendo paciência
e no meio desse tempo, começou a aparecer as mentiras, as simulações. Mas eu não queria acreditar que aquele homem que eu conheci, tão educado, fino, dono de um gosto refinado para comidas, restaurantes, teatros,musicais etc estava se revalando um (gigolo e um mentiroso) vamos falar a verdade. Pois nesse meio tempo a agencia fechou por um golpe errado dele e do dono da agencia, e ele não me disse, mas meus filhos ficaram sabendo que o prejuzo ficou nas costas dele. Então, ele passou de gerente para um simples funcionrio da funerria com o salario rebaixado, se é que era verdade. Nunca fazia menção de pagar nada, e quando sabia que eu ia para o mercado, dava um jeito de ligar e pedir sempre as melhores coisas para ele. Mora
de favor em um apto em cima da funerria,nada é dele a não ser as roupas, teve um
casamento, onde tinha de tudo casa carros, mas na separação a ex conseguiu na justiça deixar ele sem nada, nada mesmo. Com  o comportamento dele estranho, as veze ele tinha uns lances, um brilho diferente no rosto no olhar, e contraditrio ao extremo. Mentir para ele é a coisa mais normal que se possa existir. Simular telefonemas e situações também. Eu estava feito uma panela de pressão. Não sabia se pensava que ele não gostava de mulher, pois não me tocava, s queria carinhos para ele, (adorava quando eu o beijava e ficava o batom na boca dele) não deixava limpar, dizia que gostava. Minha cabeça dava ns. Diante de tudo isso, não d pr contar tudo é muita coisa, eu j estava querendo por um fim e terminar com tudo.
Mas tinha tantos compromissos que envolvia os dois. Seriamos padrinhos de casamento de parentes meu. Eu j não aguentava mais, estava dando dinheiro a ele, pois ele aparecia com umas conversas de fazer d, e eu acabava dando o que ele precisava. Mas não estava contente com a situação. Ele não queria conversar sobre o assunto  sexual, fugia sempre e muito! A minha familia meus filhos começaram a me questionar, e eu tambem j não sabia o que pensar, estava acostumada com a companhia  na vida social, minha amigas todas me invejando,
Pois ele tem 1,90 de altura, uma pessoa de presença, mas s eu sabia que a beleza estava s por fora. Possessivo e exigente em relação a ele, tinha que agrad-lo, fazer dormir, queria que desse toda a atenção s pra ele. Acabei desistindo das aulas de musica. No dia 31 de outubro ele disse que ia em casa para pormos o relacionamento em dia. Sabe o que realmente foi fazer? subiu para o meu quarto ligou o computador, começou a passar as musica dele para o cd, como coisa que eu não estava ali, dado certa hora levantou-se disse que tinha que ir embora, pois tinham ligado chamando-o, e que a noite me ligaria para vir conversar: Quer dizer : mais uma vez ele tinha fugido. perdi a boa, comecei a question-lo, ele disse que eu estava tendo um pity, saiu foi embora,e por telefone discutimos vrias vezes, fui descobrindo mais coisas, liguei questionando e nunca mais o vi. O que eu penso `dele? Mil e uma coisas!  um psicopata? é Gay? tem problemas? e não quis falar? é um golpista como diz a minha mãe? pois ele disse que queria por aliança de compromisso e até se casar comigo (como)?
S sei que estou um muito triste, pois a raiva  deu lugar a tristeza profunda, decepção, mgoa tudo junto. Meu peito di, consigo ficar numa boa com gente por perto, se fico szinha, o choro vem espontaneamente, estou lutando muito para uma não depressão. Sou muito ativa, trabalho fora, faço meus artesanatos em casa,
meus filhos meus netos me dão muita alegria. S que sou muito romantica, sonhadora e ele era tudo o que uma mulher deseja em um homem. S que o preço não vale a pena pagar pela mercadoria. A imagem dele não me sai da cabeça, todos os lugares que eu ia com ele, preciso voltar a frequentar, pois sei que a vida não para, mas est dificil, as vezes não me controlo. Achei que ia lidar melhor com a falta dele. No começo foi. mas agora sinto saudades, suspiro o dia inteiro, pode uma coisa dessa. S que é inevitavel, eu estou sentindo isso, não estou forçando.
Peço Oração, pois est muito dificil superar, tens dias que estou melhor, mas h dias que fio muito deprimida
Abraços,
Muito Agradecida pela Atenção.


Essa materia é sensacional nunca tinha lido naa igual.

Quero compartilhar com meus amigos .


Por favor moça...livre-se imediatamente deste sentimento. vc. j viu que ele não é para vc. esta pessoa tem sérios problemas, principalmente sexuais...não pense mais nele. cuide-se...viaje...conheça outras pessoas, ele é gay, vc. não se d conta de que este comportamento é de alguem no mnimo enrustido. Homem étero não aje assim. livre-se logo de tudo o que lembra dele...é um portunista sem sentimento e totalmente no armrio. Peço perdão por tudo o que ele lhe causou...vc. é linda se cuide se ame, ele não merece porque j é um sofredor nato. vc. não bjs...


Muitos confundem um centro esprita com um consultrio sentimental. Não o vejo deste modo. Espiritismo é coisamuito séria.  Sei que o amor nos trs muitas felicidades e tamém muitas angstias. Nunca levei aos meus conselheiros do além, minhas aflições afetivas. Quem tem que achar o caminho sou eu mesmo. O espiritismo é como um farol. Ele est ali para salvar muitos encarnados em terrvel aflição em um mar revolto. O conselherio sentimental usa um outro tipo de luz, semelhante ao de uma lanterna, focalizada em uma ou duas pessoas. Se , realmente tiver o dom de ajudar, o que quase sempre é duvidoso, o cliente paga e sai feliz. Ns cumprimos nossa tarefa gratuitamente porque nada fazemos para justificar uma cobrança. Somos apenas instrumentos dos espiritos que, por sua vez, procuram a sua elevação espiritual praticando o bem, sem olhar a quem, e, sobretudo, sem cobrar nada. Eu sugeriria à Irmã Rubi, que consultasse a uma pessoa de sua inteira confiança e que tenha condições morais e de experiência de vida para orient-la. Se eu o fizesse daqui, estaria sendo leviano. afinal, um bom juiz tem que conhecer , e bem, os dois lados que se opõem para chegar a um veredicto. Quem lhe disser alguma coisa sem conhecê-la, ouv-la pessoalmente, num assunto tão particular não est sendo sério. A nica coisa que um idoso como eu, 70 anos de uma vida eivada de altos e baixos, posso lhe dizer é que permita à razão falar, pelo menos, no mesmo nvel do coração. Não creio que tenha resolvido o seu problema. Nem pretendi fazê-lo. Ele lhe pertence. seu. Resolva-o  com equilbrio e bom senso.

Muito interessante,mas e, as Obras de Kardec, e suas tese, seus estudos enfim????


Bom dia!
Eu gostaria de saber: se existe algum critério, etc.  e como funciona em relação aos assuntos publicados. Publicações são efetuadas por: pessoas que se identificam (apelido) ou (visitante).
SOBRE O ASSUNTO ACIMA: na Internet encontrou-se diversas mensagens de alerta para que as pessoas tomem cuidado, em portugues, em, frances, em ingles, etc...Estou anexando um endereço de internet – que poder ser verificado: http://video.aol.fr/video-detail/sananda-le-faux-jsus/1162126810
aos administradores deste portal – favor responder sobre este assunto acredito que deve ser esclarecido

obrigado.

 

 

 


Sr. visitante responsavel pelo mais recente questionamento datado de: 28 Fev 2010 08:20, as postagens aqui efetuadas tem cunho espiritual e/ou espiritualista, são de troca de conhecimento e experiencias, a veracidade dos mesmos cabe a cada um analisa-las, mesmo pq alguns irmãos que aqui deixam seus comentarios não se identificam com mail para os devidos retornos, como foi o seu caso, aproveitamos o ensejo prra agradecer o link enviado.
|Fica na paz do Criador...
Abraços afetuosos!!!


creio firmamente na mensagem  obs  no livro dos mediu ns tem uma passagem que diz nos  milhoes planetas que estao a redor da terra existem uma  regiao que tem  uma pleidades de espiritos puros de luz ou seja seres acensionados  esta ea  crença de gbf


 


961|ad? em: 28/09/2011 - 16:24:46

oi queria uma orientao tenho 42 anos e todos os meus relacionamentos afetivos nao dao certo . tenho tres filhos e tres ex maridos qual o meu problema



1880|Tula De Vito Franco em: 04/08/2013 - 15:39:18

Pessoal, e a Doutrina Esprita? Como fica? Me perdoem dizer, mas no consegui ler nem a metade deste relato, de to fantasioso, de to maante... Totalmente esotrico, mstico. Destoa completamente do relato de espritos esclarecidos e superiores como so os que conhecemos pela Codificao Esprita.


Faca um comentario sobre este artigo






 [] Cmara aprova Dia Nacional do Espiritismo
 []
 [] Deus no te Fez para sofrer!
 [] Eu fiz 5 mil abortos - Aborto
 [] Como doar sem ter?
 [] Sem aceitar o sofrimento, no encontramos a felicidade
 [] Suicidio
 [] Planejamento Reencarnatrio
 [] Recriando o paraiso na terra
 [] Introduo
 [] Mensagem de Ashtar Sheran Terra
 [] As contradies da Biblia
 [] Cmara aprova Dia Nacional do Espiritismo
 []
 [] Deus no te Fez para sofrer!
 [] Porque pais matam filhos
 [] Florilgio Natalino
 [] Evangelho no lar
 [] Tragdias coletivas: por qu?
 [] Doena - como enfrentar?
 [] Divulgao da doutrina - O Dever da Propagao
 [] Carinho, Porque e quanto pagar por ele?
 [] A dor de Jesus
 [] Splica
 [] T me capturaste, Senhor
 [] Sananda: Sua histria atravs de Ashtar Sheran e Athena